Buscar
  • Dr Rodolfo Weidmann

Como fechar o diagnóstico de Lúpus?

O que é Lúpus?

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, que apresenta alterações na resposta imune, com a presença de anticorpos dirigidos contra proteínas do próprio organismo. Sua evolução é crônica, caracterizada por períodos de atividade e de remissão (sem manifestações). E sua apresentação também é variada, podendo o caso ser desde leve e intermitente até grave e fulminante.


O que se avalia para o diagnóstico de Lúpus?

Para diagnosticar o Lúpus Eritematoso Sistêmico, um médico reumatologista fará um minucioso exame físico e solicitará uma série de exames complementares para verificar presença de determinados anticorpos e de alterações presente em vários órgãos, visto o caráter sistêmico da doença. Alguns casos podem ser solicitados até biópsia cutânea ou renal, a depender dos achados encontrados.


Critérios Classificatórios de Lúpus:

As Sociedades Médicas criaram critérios específicos para classificar pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico. Os critérios variam, mas todos envolvem a confirmação de que uma pessoa tem um número mínimo de sintomas comuns ao Lúpus, bem como certos resultados de exames laboratoriais. Embora esses critérios tenham sido desenvolvidos para auxiliar na pesquisa, eles às vezes são usados na prática médica para ajudar no processo de diagnóstico. O critério mais recente foi realizado em conjunto com o EULAR (European League Against Rheumatism) e ACR (American College of Rheumatology), publicado em 2019.


Quais as alterações clínicas avaliadas para Classificação do Lúpus?

Como já exposto, o Lúpus é uma doença sistêmica que acomete diferentes órgãos e sistemas de nosso organismo, sendo estas uma das principais peculiaridades da doença. Então temos que olhar como um todo o paciente. Vamos avaliar se há sintomas sistêmicos, como presença de febre, perda de peso, fadiga. Alterações hematológicas são interrogadas, como diminuição de algumas células de defesas, diminuição das plaquetas ou Hemólise, que é um processo de ruptura da membrana das hemácias. São avaliadas diversas alterações neuropsiquiátricas, como Delirum e convulsões, assim como mucocutâneas, a exemplo a alopecia não cicatricial e as úlceras orais. Presença de artrite em duas ou mais articulações com rigidez matinal superior a 30 minutos ou presença de derrame articular em duas ou mais articulações são considerados para classificação. As alterações renais são detalhadamente examinadas, em conjunto com equipe da nefrologia, avaliando quanto de proteína está sendo perdida pela sua urina e por alteração histopatológica de biópsia renal, se indicado.


Quais principais exames laboratoriais solicitados para se classificar o Lúpus?

O FAN é o exame de entrada para se avaliar o Lúpus Eritematoso Sistêmico. Consideramos tanto o título deste (1:80, 1:160, 1:320) e como padrão (nuclear homogêneo, nuclear pontilhado fino). Sua presença não é obrigatória. Apesar de raro, é possível casos de LES em que o FAN é negativo, mas há outros exames e alterações clínicas que fecham o diagnóstico. Também avaliamos presença de anticorpos antifosfolípides, como Anticoagulante Lúpico, Anticardiolipina e beta2-glicoproteína1. Avaliamos proteínas do complemento, como o C3 e C4, que são uma parte do nosso sistema de defesa. Quando seus níveis estão reduzidos, ou consumidos como costumamos falar, há possibilidade de atividade do LES. Além destes exames, também consideramos presença de anticorpos altamente específicos, como Anti-DNAds e o Anti-SM.


O diagnóstico de lúpus então é uma somatória de exames e alterações clínicas?

Não. Infelizmente é mais complexo que isto. Há muitas outras doenças que podem ter sintomas semelhantes e iguais as tantas manifestações do Lúpus. Os exames laboratoriais também podem estar presente em outras doenças autoimunes, algumas doenças infecciosas, neoplásicas e até em pessoas hígidas sem comorbidade alguma. A avaliação do reumatologista é extremamente importante, ele que está capacitado para juntar as peças deste quebra-cabeças do diagnóstico do Lúpus Eritematoso sistêmico.



28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo